Caso Beatriz: Polícia diz ter identificado suspeito de matar menina com 42 facadas em colégio de Petrolina em 2015

DNA encontrado em faca usada é de Marcelo da Silva, de 40 anos, que já está preso por outros crimes e, segundo a polícia, confessou assassinato. Nesta terça, ele foi indiciado pela morte da menina de 7 anos.


Seis anos, um mês e um dia depois do assassinato da menina Beatriz Angélica Mota, de 7 anos, a Polícia Científica de Pernambuco informou ter identificado o suspeito de desferir 42 facadas na garota dentro de um tradicional colégio particular de Petrolina, no Sertão pernambucano. A polícia informou que o homem confessou o crime.

A menina foi morta em 10 de dezembro de 2015, quando estava na formatura da irmã, no Colégio Nossa Senhora Auxiliadora. Ela saiu do lado dos pais para beber água e desapareceu.

O corpo dela foi achado dentro de um depósito de material esportivo da instituição com uma faca do tipo peixeira cravada na região do abdômen. A menina também tinha ferimentos no tórax, membros superiores e inferiores.

O DNA encontrado na faca, segundo o laudo pericial, é de Marcelo da Silva de 40 anos, que está preso por outros crimes. Nesta terça (11), após ser ouvido por delegados, ele foi indiciado.

Fonte G1

Nenhum comentário

Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente a do Portal Bom Jardim.
A responsabilidade é do autor da mensagem.