Sobe para 134 número de casos registrados de lesões na pele que provocam coceira em Pernambuco

O Recife confirmou, na manhã desta quarta-feira (24), mais 17 casos de lesões na pele que provocam coceira. Com esse acréscimo, subiu de 117 para 134 o número de moradores com sintomas na capital pernambucana. O número de bairros com registro desse surto, que tem causa desconhecida, também aumentou, de 16 para 19.


Além do Recife, as cidades de Camaragibe e Paulista, na Região Metropolitana, também registraram casos. Até a terça-feira (23), os municípios tinham 62 ocorrências e seis registros, respectivamente. Até a última atualização desta reportagem, as duas prefeituras informaram que não houve acréscimo nesses números.

Também nesta quarta-feira (24), mais três municípios do Grande Recife confirmaram ter notificado casos: Jaboatão dos Guararapes, com 21 registros; São Lourenço da Mata, com seis ocorrências; e Olinda, com quatro notificações. Com isso, subiu para 233 o total de casos notificados em Pernambuco.

De acordo com a prefeitura do Recife, o surto atinge 19 bairros na capital pernambucana. Dois Irmãos e Guabiraba concentram mais de 80% dos registros na cidade. 
Por meio de nota, a Secretaria de Saúde do Recife (Sesau) afirmou que mantém contato com a Secretaria Estadual de Saúde (SES) e com o Instituto Aggeu Magalhães (Fiocruz Pernambuco), além de ter uma parceria com médicos epidemiologista e infectologista, com "o objetivo de obter conclusões sobre os casos".

Compartilhe esta notícia no WhatsApp
Compartilhe esta notícia no Telegram
No dia 19 de novembro, o Núcleo de Vigilância e Resposta às Emergências em Saúde Pública da Secretaria Estadual de Saúde lançou uma nota técnica que orientou os serviços e profissionais de saúde a notificarem, em até 24 horas, o Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs) do estado sobre os casos de pessoas com lesões na pele e coceira.

De acordo com a gestão municipal da capital pernambucana, as investigações são feitas a partir de exames laboratoriais e de ações nas localidades com casos da doença, entre elas, a captura de mosquitos e de ácaros. A previsão é que sejam colhidos materiais de raspagem de pele de pessoas que apresentaram sintomas ainda nesta penúltima semana de novembro.

A Sesau informou que, até esta quarta-feira (24), não houve registro de agravamento do estado de saúde dos pacientes notificados. A secretaria reforçou a recomendação de que as pessoas não se automediquem e busquem atendimento nas unidades de saúde caso os sintomas apareçam.

Fonte: G1


Nenhum comentário

Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente a do Portal Bom Jardim.
A responsabilidade é do autor da mensagem.