Grávida morre de coronavírus no Recife e bebê sobrevive

Uma mulher grávida morreu no domingo (5) devido ao Covid-19, uma doença causada pelo novo coronavírus (Sars-Cov-2). O caso foi confirmado pelo hospital Unimed Recife, onde ocorreu a morte. A fisioterapeuta Viviane Albuquerque tinha 33 anos e 32 semanas de gravidez. Uma cesariana de emergência foi realizada para remover a criança que ainda está na enfermaria.

O caso foi confirmado pel Secretaria de Saúde (SES) na segunda-feira, juntamente com outras oito mortes. Existem 30 casos no Hospital Getúlio Vargas, na zona oeste do Recife, incluindo um adolescente de 15 anos e dois técnicos de enfermagem. 22 novos casos também foram confirmados, no total 223.

Vale ressaltar que o hospital onde a mulher foi hospitalizada afirmou que o bebê estava "recebendo todos os cuidados necessários da equipe médica" A Unimed informou que "não está autorizada a repassar informações tanto da paciente quanto do bebê, ficando a cargo da família". O hospital disse, ainda, que todas as infirmações estão sendo repassadas às autoridades responsáveis.

Viviane foi hospitalizada em 28 de março com sintomas do Covid-19. Na quarta-feira (1) saiu um resultado positivo. Ela foi levada diretamente para a unidade de terapia intensiva (UTI) porque estava grávida. Na sexta-feira (3) ela foi intubada e na manhã de sábado (2) foi submetida a cesariana.

O namorado de Viviane, o empresário Erik Silva, lamentou a morte da sua parceira. Ele disse que o bebê foi internado em uma unidade de terapia intensiva (UTI), em uma condição grave, mas estável.

 "Ela era uma pessoa altamente trabalhadora, ia se formar em direito no meio do ano. Era uma pessoa excelente. Estávamos juntos há quatro anos. O nosso filho se chama Erik e está se recuperando. Ele nasceu de oito meses", disse.

Esta foi a segunda gravidez de Viviane. A princípio, ela teve gêmeos, que moravam com ela, sua mãe e sobrinha. Todos foram isolados desde o diagnóstico positivo de Viviane. As crianças estão na casa do pai. A família não sabe como ocorreu a contaminação.

Nesses casos, nos quais não é possível identificar quem infectou, os casos são tratados como transmissão comunitária ou sustentada. O corpo de Viviane foi cremado nesta segunda-feira em um cemitério na Grande Recife.

Nenhum comentário

Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente a do Portal Bom Jardim.
A responsabilidade é do autor da mensagem.