Jovem morre após parto e médicos não explicam motivo: 'Mataram ela'

 Jovem estava grávida pela segunda vez, e tinha um filho de quatro anos — Foto: Arquivo Pessoal
Uma jovem de 22 anos morreu depois de fazer uma cesárea em um hospital de Guarujá, no litoral de São Paulo. Segundo a mãe relatou ao G1 nesta segunda-feira (20), a ajudante geral Eliane Rodrigues de Lima, de 37 anos, os médicos não souberam determinar a causa da morte. “Ela não tinha nenhum problema de saúde. Eles mataram minha filha e eu quero Justiça”, diz. No obituário, o caso foi registrado como morte indeterminada.
Eliane explica que a filha teve uma gravidez tranquila, mas nos últimos 15 dias sentiu fortes dores. Conforme relata, Pâmela Suelen Barbosa Servilho foi ao hospital constantemente durante as duas semanas, mas sempre era liberada. Os médicos marcaram a cesárea para a sexta-feira, mas na quarta as dores pioraram. Ela foi internada e fez a cesárea no dia seguinte, na última quinta-feira (16).
Durante o parto, a jovem estava acompanhada do namorado, que a auxiliou enquanto ela passava mal. “A Pâmela ficou tonta e disse que estava vendo estrelinhas. Ela apagou e meu genro foi retirado da sala. Quando voltamos, eles tentavam reanimar minha filha”, relata a ajudante geral. Eliane perguntou se a filha estava viva e um dos médicos respondeu que não sabia. "Queria alguma confirmação, mas fui tratada como animal", ressalta a mãe.
Assim que a família soube que Pâmela não resistiu ao parto, a mãe afirma que os médicos questionaram se ela tinha problemas como falta de ar ou alguma doença cardíaca, mas não explicaram o que ocorreu durante o parto. “Descaso total. Uma jovem de 22 anos entrar para dar a luz e sair morta”, lamenta. Ela alega que a filha fez acompanhamento médico, o pré-natal e todos os ultrassons.
Pâmela é a primogênita de Elaine, que tem outros quatro filhos. Essa era a segunda gravidez da jovem, que já tinha um filho de quatro anos. A família registrou Boletim de Ocorrência do caso na Delegacia de Polícia de Guarujá.
Em nota, o Hospital Santo Amaro, onde Pâmela veio a óbito, afirmou ao G1 que lamenta profundamente o óbito da paciente em questão e informa que seu corpo foi encaminhado ao Serviço de Verificação de Óbito (SVO), que determinará a causa da morte.
O bebê, Leonardo Gael Oliveira Barbosa, foi liberado do hospital no último sábado (18), e Eliane cuida dele junto com o genro. Eles alimentam o recém nascido com leite artificial desde o primeiro dia. Segundo a ajudante geral, toda a família se mobilizou para conseguir as fórmulas para o bebê, que são muita caras.
A família também publicou pedidos de ajuda nas redes sociais com doações. A ajudante geral comentou que a situação financeira da família não é boa, e com a morte da filha ficou ainda mais difícil. "Estou procurando forças, mesmo que pareça impossível, para cuidar dos meus dois netos", finaliza Eliane. 

G1

Nenhum comentário

Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente a do Portal Bom Jardim.
A responsabilidade é do autor da mensagem.