Pré-história de Bom Jardim


Conhecido entre os arqueólogos e paleontólogos devido a grande variedade de sítios arqueológicos existentes na sua área - 16 catalogados, entre eles a Pedra do Caboclo, Monte dos Anjicos e Chã do Caboclo - este município do Agreste ainda guarda muitos segredos a serem revelados.
Na década de 60, o município foi alvo de diversas pesquisas arqueológicas realizadas pelo arqueólogo francês Armand François Gaston Laroche, então coordenador do Gabinete de História Natural do Colégio Estadual de Pernambuco (atual Ginásio Pernambucano). Laroche, 90, hoje professor aposentado da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), não estranhou a descoberta. "O município é um manancial de arqueologia, com muitas áreas a serem exploradas", ressaltou. Ele lembrou ter realizado estudos que comprovam a passagem pelo município de civilizações vindas da América do Norte e da Sibéria, além da existência de ossadas de cerca de 60 famílias de animais desaparecidos, como mastodonte, preguiça gigante, onça de dente de sabre e cavalos selvagens, entre outros.

Na fotografia vemos o Professor Laroche em suas pesquisas e as alunas do Colégio Sant' Ana, as irmãs: Zélia e Ana Aleixo. 

Face - Manoel Souto Arruda

Nenhum comentário

Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente a do Portal Bom Jardim.
A responsabilidade é do autor da mensagem.